Reconstruindo e fortalecendo comunidades

Como as ações implementadas há dois anos pela Save the Children, em parceria com o Instituto C&A, estão ajudando as vítimas do terremoto do México

Adriana vive junto com seus três filhos numa comunidade próxima a Tetela del Volcán, a oeste de Morelos. Na tarde de 19 de setembro de 2017, sua casa foi um dos imóveis que desabaram ou sofreram graves danos estruturais: “Nesse dia desabou a casinha onde eu vivia com meus três filhos. Depois do terremoto, meu irmão me emprestou a cozinha da casa dele para eu morar com meus filhos e ele teve que fazer um quarto separado com chapas. Durante muito tempo me senti triste, pensando onde poderia viver com meus filhos dignamente”, lembra.

A perda de sua casa não foi a única na região, já que cidades próximas como Tlalmimilulpan, Jumiltepec e Ocuituco, também foram afetadas pelo terremoto. Em Ocuituco, Gustavo e sua família também tiveram que abandonar sua casa: “Graças a Deus não estávamos em casa; quando chegamos vimos que as paredes estavam rachadas. Não tivemos outra escolha a não ser ir embora, pela segurança da minha mulher e do meu filho. Construímos um quartinho com tábuas na casa de minha mãe e tentamos isolá-lo com nylon, papelão e umas chapas que já tínhamos, para que o frio não entrasse. É muito triste ver que tudo o que você tinha foi destruído em um segundo”, disse.

Por sorte, famílias como a de Gustavo e a de Adriana receberam ajuda da Save The Children que, em parceria com o Instituto C&A, doou meio milhão de euros para ações imediatas, além da mesma quantia para ações de reconstrução nos estados de Morelos, Oaxaca e Puebla. O objetivo dessas ações era criar lares para 15 famílias, as quais estão perto de receber suas novas casas à prova de terremoto.

Israel é o líder de mobilização comunitária da Save The Children em Morelos e acompanhou o processo de reconstrução. Ele percebeu que este processo visa não só construir novas casas, mas também apoiar as famílias que perderam tudo: “Não estamos apenas construindo casas, também estamos apoiando as famílias para que elas possam se empoderar. Por isso criamos meios para que elas recebam apoio ou resolvam as situações que estão enfrentando, com o acompanhamento da Save The Children, disse. Ele e outros voluntários conviveram com aproximadamente 60 famílias prejudicadas, e reconstruíram a casa de 15 delas, identificadas como as famílias que mais precisavam de apoio após a tragédia.

Parte das ações que a Save The Children realizou para empoderar as famílias inclui oficinas de autoconstrução e a criação de comandas, ou seja, esquemas organizacionais nos quais as famílias fornecem comidas para os trabalhadores e são remuneradas pela organização. Desta forma, elas puderam criar um sistema que beneficia a todos, além de integrar os trabalhadores em sua comunidade.

Nas oficinas oferecidas pela Save The Children são analisadas formas de prevenir outros contratempos e as ferramentas necessárias para superá‑los. Os participantes das oficinas se comprometem a compartilhar os aprendizados para que mais pessoas da comunidade estejam informadas sobre o assunto. Além disso, através dos professores, foi reforçado o apoio psicoemocional para crianças e adolescentes, no intuito de ajudá‑los a superar a situação que viveram.

Adriana, Gustavo, e outras famílias que foram prejudicadas pelo terremoto de 2017 estão cada vez mais próximos de reconstruir suas vidas em suas novas casas, e eles se emocionam em pensar que terão outra vez um lugar próprio e digno onde morar: “Falta quase um mês para eu poder ter uma casa outra vez; demorou quase um ano para conseguir isso, mas graças a Deus temos outra oportunidade”, disse Adriana.

Graças às ações da Save The Children com o apoio do Instituto C&A, 94.325 pessoas (dentre as quais, 38.159 são crianças e adolescentes de Oaxaca, Puebla e Morelos) puderam ser beneficiadas de forma imediata, e agora mais 15 famílias voltarão a ter uma casa.

 


Desde 2015, Instituto C&A se uniu à Save the Children para apoiá‑la em sua tarefa de salvar vidas, proporcionar espaços seguros para as crianças e desenvolver resiliência nas comunidades urbanas, especialmente nos países produtores de roupas onde nós estamos presentes. Estamos orgulhosos de ter apoiado as respostas a mais de 35 situações de emergência e esperamos continuar obtendo bons resultados em nossa parceria nos próximos anos”, disse Leslie Johnston, Diretora executiva global do Instituto C&A.


Partilhar