Nova iniciativa enfoca sustentabilidade e agricultura familiar

Partilhar

Barueri (SP) – A Fundação Solidaridad deu início à implementação do programa “Modelo de Produção de Algodão Sustentável para Agricultura Familiar no Semiárido". A iniciativa envolve 12 cidades localizadas no norte de Minas Gerais e no Sudoeste da Bahia, no Vale do Iuiú. Sua proposta é construir um modelo de produção familiar de algodão que poderá servir de referência para beneficiar outras localidades dentro e fora do país. O Instituto C&A é um dos apoiadores da ação, ao lado da Associação Mineira dos Produtores de Algodão (Amipa) e da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa).

O programa terá duração de seis anos (2016-2021) e busca atingir cinco resultados: aumentar a rentabilidade da propriedade rural com a produção de algodão; ampliar a sustentabilidade ambiental e social da cultura do algodão; aprimorar a gestão das cooperativas e associações; atrair novos produtores ou produtores que se afastaram da atividade; e diversificar renda dentro da propriedade e agregar valor.

Além de desafios já considerados comuns à atividade rural familiar – como o êxodo dos jovens e a baixa rentabilidade –, o território de abrangência do programa enfrenta uma característica própria do semiárido que é a seca.

“Construímos o programa com base em nossa experiência internacional de desenvolvimento de cadeias sustentáveis de produção do algodão e outras commodities, de forma que também atenda às necessidades locais", explica Fátima Cardoso, gerente geral da Fundação Solidaridad no Brasil. Segundo ela, o programa inclui diversas modalidades de formação para os produtores, abrangendo da gestão de negócios até o acesso a técnicas de irrigação suplementar e de conservação do solo para locais de pouca chuva.


Outro destaque da iniciativa é o trabalho de empoderamento das mulheres que será realizado para promover a isonomia entre homens e mulheres no campo e a divisão de tarefas. A ação inclui a construção de dois núcleos – um na Bahia e outro em Minas Gerais – que serão destinados a atividades com mulheres, como a capacitação técnica e de gestão para a produção agrícola e a troca permanente de experiências.

As cidades onde o programa será implantado em Minas Gerais são Catuti, Monte Verde, Monte Azul e Pai Pedro. Na Bahia, serão envolvidos os municípios de Brumado, Lagoa Real, Caculé, Rio do Antônio, Livramento de Nossa Senhora, Igaporã, Malhada de Pedras e Tanhaçu. Cerca de 850 famílias serão beneficiadas com a iniciativa. O apoio do Instituto C&A no primeiro ano do programa é de R$ 582 mil.

A Fundação Solidaridad é uma rede internacional com atuação em 45 países. Criada na década de 1970, a organização desenvolve cadeias de produção sustentáveis em parceria com produtores, comerciantes, empresas e consumidores. A instituição também participa da elaboração e disseminação de padrões de certificação internacionais como o Better Cotton Initiative (BCI), voltado à produção de algodão mais sustentável.

Partilhar