Tecendo uma rede do bem

Partilhar

Há quatro anos, grandes nomes do Brasil e do mundo que acreditam na inovação social e atuam em prol dela se reúnem anualmente no Festival Social Good (evento que antigamente se chamava Seminário Social Good). Mais de 4 mil pessoas já estiveram presentes nesse encontro e 33 mil acompanharam as transmissões ao vivo pela internet. Neste ano, o festival ocorreu nos dias 4 e 5 de novembro, em Florianópolis (SC), e reuniu profissionais como:

  • Dylan Hendricks, diretor do programa Ten Year Forecast – Institute for the Future;
  • Darlene Damm, diretora do Prêmio de Desafios Globais na Singularity University;
  • Tomás Lara, colíder do Sistema B Brasil;
  • Antonin Léonard, co-fundador da OuiShare;
  • Luciana Aguiar, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) Brasil.

Américo Mattar, diretor-presidente da Fundação Telefônica Vivo, e nossa diretora-executiva Giuliana Ortega abriram o evento. Ela falou sobre a nossa parceria de quatro anos com a Social Good, compartilhando os mesmos sonhos e valores e a certeza de que a inovação social é o caminho que desejamos trilhar. “Estamos trabalhando para que a moda seja melhor e mais justa. Apoiamos quem faz parte dessa cadeia de maneira sustentável, e a Social Good é um dos nossos grandes companheiros nessa jornada", conta Giuliana. O Instituto C&A e a Fundação Telefônica foram homenageados no evento por conta dessa parceria tão especial. Clique aqui para assistir.

Ainda no dia 4, uma roda de conversa tratou dos caminhos da moda nesse cenário de inovação social. Para bater esse papo com os participantes estavam representantes de projetos apoiados por nós: Jonas Lessa, cofundador da Retalhar, Dari Santos, cofundadora da Alinha, e Lu Bueno, do Banco de Tecido. Eles debateram os desafios de conscientizar seus públicos de interesse sobre a importância de uma atuação sustentável mesmo que isso represente mais investimentos. Outros temas discutidos foram a dificuldade de ganhar dinheiro com seus projetos, como montar um negócio social ou com impacto social e as dúvidas no momento de precificar produtos e serviços. A importância de um olhar voltado para o indivíduo, suas necessidades e conexões também foi um dos assuntos em pauta.

“Estamos trabalhando para que a moda seja melhor e mais justa. Apoiamos quem faz parte dessa cadeia de maneira sustentável, e a Social Good é um dos nossos grandes companheiros nessa jornada”

Giuliana Ortega
Partilhar