Conheça o site do Laboratório da Moda Sustentável

Partilhar

Cultura e consumo, modelos de negócio, ciclo de vida do produto e condições dignas de trabalho. Esses são alguns dos temas abordados pelo Laboratório da Moda Sustentável. A partir de agora você pode encontrar o resultado dessas discussões, além de outros conteúdos, no novo site do projeto, que tem como finalidade principal compartilhar cerca de dois anos de atividades.

O projeto também conhecido como Lab Moda, criado em 2017, é uma plataforma de colaboração e inovação em nível nacional formada por aproximadamente 40 lideranças de diferentes setores da indústria, com o objetivo de tornar a moda mais justa e transparente. 

O Instituto C&A acredita que no processo de transformação da indústria da moda, atuar isoladamente não é o suficiente. Para que uma mudança de fato aconteça, é preciso que os elos do setor trabalhem juntos, de maneira sistêmica. Por essa razão, o Instituto C&A é o parceiro fundador dessa iniciativa, que conta com apoiadores como Abit - Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, a ABVTEX - Associação Brasileira do Varejo Têxtil, a OIT - Organização Internacional do Trabalho, a marca Pernambucanas e a Reos Partners.

Tendo como premissa a importância da colaboração, o projeto criou um espaço onde diferentes partes da indústria possam discutir o cenário atual, partindo de uma visão comum dos problemas que a moda enfrenta, onde todas as perspectivas são levadas em conta.

“A colaboração entre os diferentes elos que compõem a cadeia da moda é essencial para que o setor possa ser mais justo e sustentável. Esperamos que essa iniciativa seja mais um passo nesse sentido, de construção conjunta de soluções”, completa Giuliana Ortega, diretora executiva do Instituto C&A.

Entre os participantes do Lab estão representantes de marcas e indústrias, associações setoriais, sindicatos, fundações, órgãos internacionais, setor público, sociedade civil e ainda indivíduos envolvidos na cadeia, como a costureira Nancy, participante das rodas de conversa para mulheres migrantes, ação de fortalecimento e empoderamento promovida pelo Cami - Centro de Apoio e Pastoral do Migrante. Ela colabora com a discussão ao trazer para o debate sua visão sobre o setor. 

Segundo a OIT, “o desenvolvimento sustentável dessa cadeia produtiva só pode acontecer com base num diálogo social e com a construção de parcerias entre os atores-chave”. Espaços que permitem a interação desses atores, como o criado pelo Lab Moda, são essenciais nesse processo. 

Entre os conteúdos apresentados no site vale destacar as seis iniciativas multissetoriais construídas pelo time, que debatem da educação à nova cultura de consumo, de políticas públicas ao ciclo de vida dos produtos, das desigualdades entre os elos da cadeia aos desafios das condições de trabalho. Todas elas com o objetivo de buscar inovações e melhorias para o setor. 

Além disso, o site conta com um vídeo explicativo, que traz um rápido panorama sobre o projeto, e apresenta os futuros cenários possíveis, que serviram de base para a criação das seis iniciativas. Os cenários apontam possíveis características da indústria da moda em 2035. Eles não são previsões do que deve acontecer, mas ajudam na análise de contexto e na formulação de ações de transformação do setor. Você pode conhecer um pouco mais sobre eles clicando aqui

Nesse momento a plataforma está entrando em um patamar de colaboração, buscando ampliar o número de participantes e parceiros e a conexão com outras iniciativas, esforços e movimentos engajados na causa da moda sustentável.

O consultor sênior da Reos Partners Fernando Rossetti afirma que o novo site é o embrião de uma plataforma de comunicação do Lab Moda e de suas diversas iniciativas por uma moda justa e sustentável.

“Neste momento, o site traz informações detalhadas sobre o que é o laboratório, sua história, o relatório dos cenários para 2035, vídeo, teoria de mudança e resultados até agora. Com o tempo, poderá incorporar notícias, artigos e documentos, além de canais de comunicação internos e com a sociedade”, finaliza. 

Acesse o site e saiba mais sobre essa iniciativa.

Partilhar