Primer Puntada: estudo visa auxiliar a transformação da indústria da moda no México

Partilhar

O Primer puntada tem o objetivo de melhorar as características socioambientais da indústria da moda no México.

A parceria entre HIP - Hispanics in Philanthropy, Sistema B e Instituto C&A resultou em um estudo de análise de dados que ajudam o setor a entender o que precisa ser melhorado. 

Ao todo, 26 empresas da indústria da moda no México participaram do estudo, fornecendo dados durante um período de três meses através do Mide Lo Que Importa, ou Avaliação de Impacto B, uma ferramenta digital intuitiva onde os representantes de cada empresa realizam um autodiagnostico sobre suas práticas trabalhistas. As perguntas foram divididas em quatro áreas fundamentais: governança, trabalhadoras e trabalhadores, comunidade e meio ambiente. Junto com o resultado as empresas recebem ainda um plano de melhoria personalizado.

“Este estudo faz parte da nossa parceria com o Sistema B, e foi aplicado primeira vez na indústria da moda. Ele nos permite, através de uma ferramenta gratuita e confidencial, começar um diálogo com as empresas sobre a necessidade de realizar uma autoavaliação e comparar se com outras empresas, já que a ferramenta fornece exemplos de boas práticas que ajudam a reduzir a curva de aprendizagem”, explicou Dana Preston, Gerente de Programa Senior de Iniciativas Focadas em Gênero da HIP.

Estes foram alguns dos resultados obtidos: 

  • A escala de avaliação variava entre 0 e 200 pontos, sendo 62.6 a média das empresas participantes. O índice das empresas variou entre 23 e 182 pontos. Aquelas que obtiveram pontuação superior a 80 já podem iniciar o processo para receber a certificação dada pelo Sistema B. 
  • Um dos pontos fortes identificados foi a igualdade de salários para homens e mulheres que realizam o mesmo trabalho: 22 das 26 empresas participantes informaram que possuem uma política que protege suas trabalhadoras contra a discriminação salarial baseada no gênero.
  • Uma das áreas de oportunidade mais relevantes é a falta de transparência nas cadeias de abastecimento: apenas 14 das 26 empresas informaram que possuem uma política de avaliação de fornecedores e cadeias de abastecimento. E apenas 12 das 26 informaram que publicam listas de fornecedores, embora só uma destas 12 tenha compartilhado uma lista com esta informação. 


Preston considera que a divulgação de fornecedores é uma área que deve ser incentivada, já que muitas das violações dos direitos humanos provêm das cadeias de abastecimento. Com as informações obtidas poderão ser propostas soluções a curto e médio prazo: “Nós queremos replicar a experiência com, no mínimo, 100 empresas, para obter dados mais sólidos e ter uma amostra mais representativa do setor. Assim poderemos identificar oportunidades de melhoria que podem ser compartilhadas, facilitar o acesso de especialistas a essas empresas para que conheçam as áreas de melhoria e ver como esses resultados podem servir para recomendações de políticas públicas”, detalhou.

A Hispanics in Philanthropy incluiu uma quinta área no diagnóstico, a fim de coletar dados sobre políticas de igualdade de gênero, discriminação salarial por gênero e liberdade de associação. Este último é considerado um direito fundamental para que as trabalhadoras possam se informar e solicitar melhores condições de trabalho. 

“Tendo em vista os padrões nacionais do setor da moda, observados através dos resultados obtidos com esta ferramenta, acreditamos que estas políticas podem ser relevantes para conseguirmos uma indústria mais forte e competitiva, e, claro, com maior respeito aos direitos humanos”, acrescentou Preston.

“A implementação de estudos como Primer Puntada, ajuda nós do Instituto C&A, e também nossos parceiros, na missão de transformar a indústria da moda no México para que as pessoas possam prosperar”, disse Stephen Birtwistle, Gerente do Programa Melhores Condições de Trabalho do Instituto C&A. 

Acesse o relatório completo, clique aqui*

*Documento em espanhol
 

Partilhar